A fábrica brasileira

A Simca instalou a sua fábrica no Km 23 da Via Anchieta, no município de São Bernardo do Campo, SP, em frente á Volkswagen. Anteriormente, no local funcionaram a linha de montagem dos veículos Nash e uma fábrica de bicicletas.

 

Houve a necessidade de vultuoso trabalho de estruturas básicas para implantação da linha de montagem. Foram construídas grandes galerias para escoamento de água pluvial, já que a fábrica era inundada quando chovia forte.

 

A área total do terreno era de 275.000 m2 e a área construída, inicialmente de 32.000 m2, chegou a 44.549 m2 com a construção do novo pavilhão em 1961, ano em que o terreno até então alugado foi finalmente adquirido. Apenas o plano de expansão então efetuado consumiu U$ 8.000.000 (oito milhões de dólares).

 

Em 1959 foram produzidos 1.217 veículos. Esse número chegou a 3.643 em 1960, sendo 2.391 unidades somente de janeiro a setembro de 1960, o que representou 221% em relação a igual período de 1959. Em setembro de 1960 foram produzidos 357 carros, com 125% de acréscimo em relação a setembro de 1959.

 

Em 1962 deixaram a linha de montagem 6.905 automóveis, ao passo que em 1963 a produção chegou a 9.549 unidades. Apenas nos seis primeiros meses de 1964, o seu melhor ano, a Simca produziu 4.966 veículos.

 

O número total foi de 50.833 automóveis saídos da linha de produção com a marca Simca. Quando o controle acionário passou para a Chrysler, foram introduzidas mudanças na fábrica e na administração. Dos mais de 1.700 funcionários, cerca de 400 foram demitidos. Ainda assim, em três meses a produção foi aumentada de 18 para 20 carros por dia.

 

Nas mesmas instalações do Km 23 da Via Anchieta passaram a ser produzidos em 1969 os veículos e posteriormente os caminhões da linha Dodge, na década de 90 foi a vez dos caminhões Volkswagen.

Com a demolição dos prédios onde funcionou a fábrica restou apenas a fachada da entrada. Invadido o terreno, logo após a desocupação ele foi vendido para uma grande rede varejista.